Inicio > Sobre el Labradoodle > Como é o Labradoodle

COMO É O LABRADOODLE

A falta de padrão único de raça torna-o difícil de definir


É difícil de definir como é um cão que não tem um padrão único de raça e cada criador tem uma linha muito diferente do resto dos criadores. A falta de coerência em torno do Labradoodle faz com que no saibamos o que esperar dele como cão.
A falta de coerência em torno do Labradoodle faz com que não saibamos o que esperar dele como cão.

TEMPERAMENTO DO LABRADOODLE

O Labradoodle deveria ser um cão com um temperamento equilibrado e boa energia para servir como cão de assistência ou terapia. Foi por isso que Wally Conron os criou. Mas o certo é que hoje em dia, o Labradoodle poucas vezes é utilizado para terapia e assistência. A criação foi sendo desenvolvida mais para a venda a particulares que procuram cães com aspeto de peluche atraídos pela ideia de que não soltam pelo. A favor da estética, o descuidou-se temperamento na criação. É por isso que o Cocker Spaniel foi introduzido como infusão, o que deu lugar a cães com um temperamento pouco equilibrado e com falta de concentração.

A falta de coerência em torno do Labradoodle faz com que não saibamos o que esperar dele como cão.

ASPETO DO LABRADOODLE

Depende do tipo de Labradoodle que seja, o seu aspeto pede variar consideravelmente. Se for um Labradoodle de primeira geração é muito complicado prever como será em adulto, já que ao ser um cão mestiço, as possibilidades são infinitas. Pode sair com o pelo largo, curto, escorrido, encaracolado, áspero, suave... Por outro lado, os Australian Labradoodles costumam ser cães com um pelo abundante e de muitas cores. De aspeto, pode ser bastante parecido a um  Australian Cobberdog, ainda que geralmente não costumem garantir que o cão seja hipoalergénico, já que o seu programa de criação costuma trabalhar mais a estética.


A IMPOSSIBILIDADE DE DEFINIR O LABRADOODLE

Apesar dos preconceitos que se têm sobre o Labradoodle, o certo é que é um nome que gera muita confusão, já que não é uma raça. Que não seja uma raça dá lugar a que seja muito difícil falar de coisas comuns à volta cães, pois depende muito de cada criador e de que tipo de Labradoodle seja.

EXISTEM VÁRIOS TIPOS DE LABRADOODLE
Existem diferentes tipos de Labradoodle, os quais são muito diferentes entre eles. Isto faz que quando se fala do Labradoodle, a generalização seja muito difícil. Os Labradoodles de Wally Conron foram criados para serem hipoalergénicos e bons cães de assistência, os Labradoodles de primeira geração são um cruzamento difícil cujas características são difíceis de prever e os Australian Labradoodles são cães cuja criação focou-se mais na estética; assim o seu temperamento e o seu pelo hipoalergénico são pouco previsíveis.
NÃO EXISTE UM PADRÃO ÚNICO DE RAÇA

O problema do Labradoodle não ser um cão de raçafaz com que qualquer clube ou associação ponha um padrão de raça e não haja unanimidade quanto ao que deveria ser um Labradoodle. Que não exista um guia único sobre o que deveria ser um Labradoodle faz com que qualquer pessoa possa chamar Labradoodle aos seus cães e que as famílias não saibam exatamente o que devem esperar do seu cão. As incongruências entre os diferentes padrões de raça faz com que cães denominados Labradoodle sejam muito diferentes entre si.

CADA CRIADOR TEM O SEU CRITÉRIO
Ao não haver uma instituição que acredite os pedigrees sob um padrão único de raça, faz com que os criadores de Labradoodles realizem os seus programas de criação sob o seu próprio critério sem ter um objetivo comum ao resto dos criadores. No caso dos Australian Cobberdog existe somente um único padrão de raça, sendo que os sementais e as fêmeas que se utilizam para a criação são registados com garantia de serem da raça. Nada parecido ocorre com o Labradoodle e esta falta de homogeneidade entre criadores faz com que seja difícil descrever como é um Labradoodle.
A falta de coerência em torno do Labradoodle faz com que não saibamos o que esperar dele como cão.

A CRISE DO LABRADOODLE

O grande problema do Labradoodle encontra-se na popularidade que teve quando ainda não tinha sido estabelecido como raça. Em seguida, criadores sem conhecimentos começaram a fazer os seus próprios cruzamentos, a criarem os seus clubes e a escreverem os seus próprios padrões de raça. O resultado foi nefasto, já que a raça foi perdendo aquilo que a fez famosa: serem cães hipoalergénicos com um temperamento apto para serem cães de assistência. Em nome da estética, fizeram-se infusões com cães que desequilibraram o temperamento do cão e fizeram com que o Labradoodle continuasse a ser considerado um bom cão para realizar terapias ou assistência. E assim foi como surgiu a necessidade de desenvolver a raça Australian Cobberdog, que é o que o Labradoodle devia ter sido: uma raça de cão hipoalergénica com grande potencial para ser um cão de terapia ou assistência.

A falta de coerência em torno do Labradoodle faz com que não saibamos o que esperar dele como cão.

O COBBERDOG É O CÃO QUE O LABRADOODLE DEVERIA SER

O Labradoodle foi criado para converter-se no cão hipoalergénico com as qualidades ideais para ser um bom cão de terapia ou assistência. No entanto, o seu objetivo perdeu-se durante o seu desenvolvimento. O Australian Cobberdog foi o cão que assumiu este objetivo e se estabeleceu como raça, para garantir que todos os Australian Cobberdog são o que deveriam ser: um grande cão de família com grande potencial para desenvolver o seu trabalho como cão de terapia e assistência.


Mais informação sobre a raça

(+34) 93 590 93 97

Informação e consultas sobre o Australian Cobberdog

Contacto